Vereadores Jovens requerem melhorias para Indaial

INDAIAL – Quatro indicações foram discutidas e aprovadas na sexta reunião ordinária da 13ª legislatura do Parlamento Jovem, que ocorreu nesta sexta-feira (26). As solicitações dos jovens vereadores vão desde melhorias na sinalização de trânsito da cidade à coleta de lixo reciclável nos bairros em que o serviço ainda não é disponibilizado. Confira as reivindicações:

Vereador Julio Henrique Pereira
Solicita instalação de placas alertando os motoristas sobre a existência de ciclovias e os cuidados com os ciclistas, principalmente em vias transversais.

Vereador Carlos Eduardo Gielow
Solicita instalação de uma área de lazer em frente à Escola de Ensino Fundamental Gustavo Barroso, com quadra de esportes, aparelhos para ginástica ao ar livre e um parquinho para as crianças.

Vereador Bryan Venera
Sugere a realização de treinamento e orientação aos alunos das escolas da rede municipal de ensino, sobre primeiros socorros e ações que devem ser adotadas em casos de emergências como incêndio, quedas, acidentes de trânsito, etc.

Vereadora Larissa Heloísa da Rocha
Solicita a realização de coleta seletiva de lixo no bairro da Mulde.

Discursos

Após a apresentação das solicitações, dois vereadores jovens usaram o espaço da Tribuna para abordar assuntos de interesse da comunidade.

O primeiro a discursar foi o vice-presidente da Mesa Diretora, Bryan Venera, que abordou o tema democracia e voto consciente. O estudante alertou sobre a importância de avaliar bem as propostas dos candidatos a cargos políticos, já que eles nos representarão por quatro anos.

A vereadora jovem Luana Beatriz Masson, por sua vez, discorreu sobre a síndrome de Down, condição causada pela presença de três cromossomos 21 em todas ou na maior parte das células de uma pessoa. Ela ainda explicou que as crianças, jovens e adultos com síndrome de Down podem ter algumas características semelhantes e estar sujeitos a maior incidência de doenças, porém podem alcançar bom desenvolvimento de suas capacidades pessoais e avançar com crescentes níveis de realização e autonomia.

“A pessoa com síndrome de Down é capaz de sentir, amar, aprender, se divertir e trabalhar como todos. Em resumo, ele poderá ocupar um lugar próprio e digno na sociedade”, finalizou Luana.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.