Slider

Santa Catarina deve apresentar período mais seco no próximo trimestre

Por Judson Lima

SANTA CATARINA – O 3º Boletim Hidrometeorológico de 2021 divulgado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), por meio da Secretaria Executiva do Meio Ambiente (SEMA), apontou um abrandamento da situação de estiagem na região litorânea, devido aos elevados volumes de precipitação nos últimos três meses. Mas, no interior, as chuvas voltaram a ficar abaixo do esperado, resultando no agravamento do cenário.

A previsão para o próximo trimestre é de um período mais seco em Santa Catarina.

“O comprometimento do abastecimento urbano em diversos municípios, assim como a intensidade da seca hidrológica sobre o Estado permanecem e exigem o monitoramento contínuo. Embora tenha sido identificada uma melhoria nos estados de criticidade no litoral, persiste a estiagem prolongada no Estado”, destaca o diretor de Recursos Hídricos e Saneamento da SEMA, Leonardo Ferreira. Ele enfatiza que a condição hidrológica dos cursos d’água seguirá sendo avaliada em um viés de armazenamento para curto e longo prazo.

Situação hidrológica e impactos

No total, 194 municípios catarinenses estão em estado de normalidade, 45 de atenção e 18 de alerta. Nenhum apresenta estado crítico frente à estiagem e 38 cidades não encaminharam informações de atualização da situação.

“A quantidade de municípios com abastecimento comprometido em estado de atenção (18%) e alerta (7%) reforçam que o Estado continue o monitoramento constante das condições hidrológicas, até que este evento seja completamente encerrado. As mobilizações e medidas de mitigação no sentido de reduzir os impactos da estiagem continuarão, bem como o uso racional e consciente por parte dos usuários de recursos hídricos e da população de modo geral, devem continuar”, finaliza Ferreira.

Uma nova edição do boletim hídrico deve ser lançada em 07 de abril. O estudo de monitoramento, é coordenado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), por meio da SEMA, em parceria com a Defesa Civil de Santa Catarina, Aresc e outras agências reguladoras do Estado.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.