A notícia além do olhar técnico!

Saiba quem foi preso em Indaial e outras cidades de Sc na operação Saldo Negativo

A prisão em Indaial aconteceu no bairro dos Estados

INDAIAL – A Operação Saldo Negativo investiga grupo responsável por fraudes em tributos federais finalizou com 23 pessoas presas nos Estados de Santa Catarina, São Paulo, Brasília e Paraná.

Em Santa Catarina foram presos: Delmar Muller, sócio de empresa de consultoria e gestão empresarial com sede em Indaial e Brasília. A advogada Juliana Hess. Egidio Bonin: servidor da Delegacia da Receita Federal de Florianópolis. Antonio Arão Melo Rodrigues: contador em São José. Josiane Cardoso de Souza: sócia de um comércio no Sul do Estado. Julio Cesar Hess: sócio de duas empresas de assessoria empresarial em Santa Catarina e Leonardo Walter – sócio de três empresas em Santa Catarina, as informações são do site DN.

Além das prisões e visando promover o ressarcimento ao erário, também foram cumpridas ordens judiciais de sequestro de 30 veículos, 3 motos aquáticas, 2 embarcações, 24 imóveis residenciais e comerciais, 106 lotes/terrenos em um condomínio e de valores existentes em contas bancárias dos investigados até um limite de cerca de 7,8 bilhões de reais.

A investigação iniciou com a abertura de inquérito policial em novembro de 2017, tendo ficado demonstrado que o grupo prestava assessoria tributária e vendia supostos créditos que alegava possuir, enganando os empresários com a ilusão de que poderiam compensar seus débitos com o fisco com referidos créditos, que na verdade não existiam. Até o momento já foram identificadas cerca de 3.500 empresas clientes do grupo criminoso, sediadas em 597 municípios, abrangendo todos os Estados.

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Federal de Florianópolis/SC em decorrência de pedido apresentado pela Polícia Federal, o qual contou com manifestação favorável do Ministério Público Federal, tendo, ainda, a investigação contado com o apoio da unidade do Ministério Público de Santa Catarina em Criciúma/SC.

O que dizem os citados

Egidio Bonin: A reportagem tentou falar com o advogado Felipe da Silva Carlos já o defendeu em outro processo, mas o contato dele não está atualizado no cadastro da OAB.

Fagner dos Santos Araújo e Platinum Consultoria Empresarial Eireli. O advogado Lucian Oliveira Bastos que já defendeu a empresa não atendeu e nem retornou às ligações.

Antonio Arão Melo Rodrigues: Uma pessoa que trabalha com ele no escritório em São José atendeu à ligação, mas disse que não estava inteirada da operação e que também não sabia se Antônio teria advogado já constituído.

Delmar Muller: A reportagem tentou contato com o advogado Antonio Carlos Rodrigues da Costa que já o defendeu em outro processo, mas o cadastro não está atualizado no sistema da OAB.

Josiane Cardoso de Souza: A reportagem tentou contato com a advogada Cristina Frello Joaquim Guessi que já a representou em outro caso, mas ninguém atendeu às ligações no escritório.

Juliana Hess: O telefone da advogada não está disponível no cadastro de telefone na OAB.

Julio Cesar Hess: Não localizamos a defesa dele.

Leonardo Walter: O advogado Mateus Augusto Goulart Lemos afirmou que Leonardo foi conduzido na condição de vítima. O defensor afirma que ele não fazia parte do esquema e que foi enganado pelo grupo.

Confira quem são os presos em outros estados:

Adriano Pretel Leal

Antonio Ataide Perossi Junior

Claudia de Sousa Masullo

Claudio Roberto de Pina

Cleide Fatima de Pina

Cleine Fatima de Pina

Daniel Wikanski

David Pires de Oliveira

Eduardo Sabatelau

Eliana Brajao Dante

Luciano Lima Falconi

Marco da Silva França

Ricardo Henrique da Silva

Roberto Moreth

Rodrigo Abrão Imbrizi Petrini

Silvio Bazylewski

Ubirajara Rioto

*Colaboraram com a reportagem: Ian Sell e Thomás Garcia

 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.