A notícia além do olhar técnico!

Procon cobra explicações para aumento na fatura de energia

1

GERAL – Consumidores catarinenses foram surpreendidos com a primeira conta de luz do ano. Os valores das faturas estão bem acima da média dos últimos meses.

O aumento levou muitos consumidores aos postos da Celesc e aos órgãos de proteção ao consumidor (Procons) de Santa Catarina, alegando erro na leitura ou mesmo de uma cobrança adicional. O número de reclamações cresceu tanto na semana passada que, na sexta-feira (18), a Celesc soltou um comunicado explicando que não houve cobrança adicional, reajuste ou erro no processamento de dados na fatura.

Segundo a empresa, o aumento na conta de luz se deve, em grande parte, ao maior consumo de energia registrado nos últimos meses, especialmente pelo uso de equipamentos elétricos, como ar-condicionado e motores de piscina em períodos de temperatura elevada.

A nota diz ainda, que esse avanço é confirmado, inclusive, pelos elevados índices na demanda de energia registrados pela Celesc nas últimas semanas. “Desde dezembro, o recorde foi batido três vezes, em três dias seguidos – 15 de janeiro (4.875MW), 16 de janeiro (4.989,82MW) e 17 de janeiro (5.030MW)”.

A Celesc informou que a tarifa de energia elétrica sofreu o último reajuste em agosto de 2018 e orientou os consumidores a conferirem o histórico de consumo e o período de apuração da leitura na fatura recebida. “Quando se trata de variação de consumo, o cliente pode comparar a leitura atual no medido do seu imóvel com a leitura apresentada na fatura – a diferença indica o quanto foi consumido de energia em kwh no período”.

Mesmo diante dessas explicações, o Fórum de Procons de Santa Catarina convocou a diretoria da Celesc e dar explicações sobre os valores das tarifas no mês de janeiro. A reunião aconteceu na manhã desta terça-feira (22), na sede da Celesc, na bairro Itacorubi, em Florianópolis.

Além do diretor da Celesc, Antônio José Linhares, estavam presentes representantes da Ouvidoria, do setor Técnico e de Faturamento da autarquia. Gaspar esteve representada pela Superintendente do Procon e integrante do Fórum, Simone Carime Makki Voigt. Segundo ela, a explicação é que a Celesc compra energia elétrica e repassa para os consumidores.

“Com o aumento do consumo em função das temperaturas elevadas, a empresa precisou comprar mais energia elétrica, mas essa explicação, com mais detalhes, será enviada formalmente ao Fórum dos Procons”, esclareceu Simone.

A Celesc tem prazo de dez dias para enviar as justificativas. Simone informou ainda que será criado um novo canal direto (0800) entre a Celesc e os Procons de Santa Catarina, onde será repassado o aplicativo da empresa  onde o consumidor poderá acompanhar, mês a mês, toda a evolução do seu consumo de energia elétrica.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.