Processo administrativo para apurar transgressão de médico é prorrogado pela terceira vez em Indaial

INDAIAL – O prefeito André Moser (PSDB) assinou novo decreto prorrogando pela terceira vez o Processo Administrativo Disciplinar que apura suposta transgressão do médico anestesista e servidor público Ademir Danilo Zardo, que até ano passado era presidente do PSDB, e que hoje permanece ocupando transito na cúpula tucana de Indaial.

Judson Lima/Foto:Reprodução

A abertura do processo ocorreu em 04 de dezembro 2017, sendo que a Comissão designada tinha 60 dias para finalizar o procedimento. O prazo expirou dia 04 de fevereiro de 2018, e em 20 de março foi baixado novo decreto determinando prorrogação para mais 30 dias dos trabalhos da Comissão.

Já no último dia 05 de abril, quinta-feira passada, um terceiro decreto assinado pelo prefeito André Moser determinou que a sindicância fosse prorrogada novamente para mais 30 dias a contar da publicação do novo decreto.

As denúncias contra o servidor partiram de uma Comunicação Interna enviada pela Secretaria de Saúde de Indaial.

Entre as supostas irregularidades estariam o descumprimento da jornada de trabalho, ausências injustificadas ou justificadas indevidamente, utilização de benefícios indevidos, violação da fila de pacientes do SUS, alteração da ordem estabelecida, direcionamento e antecipação de exames; o que caracterizaria o procedimento conhecido como o famoso fura fila. Todo o material está sendo colido pelos membros da Comissão do Processo Administrativo que é presidida por Altair Simão e tem como membros Karina Fabricia Rebelo Nuber e Michele Aparecida Lopes Batista.

Ao contrário do ocorrido com outros servidores da área da saúde que tiveram acusações de supostas irregularidades e que mesmo sem uma sindicância tiveram denúncias feitas ao Ministério Público por vereadores do PSDB, no caso do médico e ex-presidente da sigla, os correligionários de partidos foram mais brandos ou afetuosos evitando exposição midiática, e nem tão pouco procuraram o MP para fazer qualquer comunicação com a consequente devolução de recursos aos cofres municipais.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.