Prefeitura de Indaial é notificada por dívida com Hospital , e Presidente do H.B.R responde a vereador da base do prefeito que indicou empréstimo para pagar funcionários.

INDAIAL – O Presidente da Associação Beneficente Hospital Beatriz Ramos, Edson Roberto Milbratz, usou a tribuna da Câmara de Vereadores a pedido do Presidente Osvaldo Metzner,o Santo Antônio, e anunciou que hoje a Prefeitura de Indaial foi notificada a pagar o valor devido e auditado pela propria secretária de saúde do municipio.

Gelinho aproveitou para esclarecer que ao contrário do citado pelo prefeito André Moser, que falta gestão no gerenciamento financeiro.

“Todo Conselho Superior de administração do Hospital é voluntário, NÃO RECEBE UM CENTAVO.Por isso primamos o cuidado extremo na aplicação dos recursos, ainda temos que escutar que somos incompetentes”.

“Incompetente por ter identificado que esse problema iria gerar um problema maior ? Ter pego recurso para utilizar com os munícipes de Indaial, enquanto não recebemos por esse serviço”.

O que era o correto, indagou Gelinho aos vereadores. “Se limitar ao recurso recebido, e deixar as pessoas desamparadas lá no pronto socorro, ou dar o devido atendimento e quando não tivesse mais condições de manter vir a essa casa e acionar executivo municipal para que tome providencias”.

Gelinho comentou que hoje dia 10, tem no caixa R$ 71 mil reais e não teve como pagar a forcenedores que deveriam ter sidos pagos o valor de R$ 529 mil, pois o recurso dos fornecedores foi usado para pagar parcela do 13º dos colaboradores.

Em sessão anterior a bancada do prefeito Moser, atraves do vereador Flavio Molinari questionou porque o “ Hospital não pega emprestimo,mas cobra a prefeitura”.

Hoje, Gelinho ponderou que em 2016 firmou compromisso com na propria Câmara que a direção do H.B.R não iria fazer emprestimo, mas disse que se todos os vereadores autorizarem ele buscará esse empréstimo,mas quer saber quem vai pagar as parcelas, se essa Casa autorizar?

Ao final da participação de Edson Gelinho, o presidente da Câmara, Osvaldo Metzner disse que existe “contradições, nada contra a pessoa do prefeito, lamento que o procurador diz em jornal que o prefeito não pode passar o recuso,mas o contrato diz que se o prefeito quiser pode repassar, deixar bem claro que a matéria feita pelo procurador contradiz ao contrato e a contradiz com parecer jurídico , que diz que é de responsabilidade da prefeitura”.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.