A notícia além do olhar técnico!

Prefeitos reforçam pleitos ao secretário de Estado da Saúde

Por Comunicação Ammvi

SANTA CATARINA – Equipamentos para 22 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Este foi um dos pleitos apresentados pelos prefeitos do Médio Vale do Itajaí ao secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro. Na reunião, que aconteceu na tarde desta quinta-feira (23), os gestores reivindicaram ainda habilitação de leitos nas regiões vizinhas, como Alto Vale e Foz do Rio Itajaí.

“Objetivamos aumentar a capacidade de atendimento em unidades intensivas e permitir que nossa população seja atendida. No entanto, precisamos que as outras regiões ampliem o atendimento para que abram vagas nos nossos hospitais”, reforça o presidente da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi), Matias Kohler, prefeito de Guabiruba. Segundo ele, esta solicitação já foi feita por meio dos ofícios nº 47 e nº 52, assinados pela entidade e pela Comissão Intergestores Regional (CIR).

Questionado sobre a necessidade de prorrogação das habilitações de leitos de UTI liberadas por meio de portaria do Ministério da Saúde, que vencem no final deste mês, o secretário garantiu aos prefeitos que serão renovadas. Esta resposta atende ao pleito enviado por meio do ofício nº 314. Motta confirmou ainda que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante visita ao estado nesta semana, habilitará todos os novos leitos que forem criados em Santa Catarina.

Quanto aos equipamentos, Motta Ribeiro confirmou que, nos próximos dias, deverão ser entregues 12 monitores cardíacos e 12 respiradores para o Hospital Azambuja, em Brusque. Quando questionado sobre apoio na aquisição de bombas de infusão, o secretário afirmou que o Estado não se compromete com a compra destes equipamentos.

Na videoconferência, os prefeitos demonstraram ainda apreensão com o afastamento dos profissionais de saúde por contaminação pelo vírus, como também a necessidade de novas contratações para ampliação das unidades intensivas. Conforme Motta Ribeiro, este é um item que o Estado não poderá atender e pediu apoio dos gestores municipais e diretores dos hospitais para tentar suprimir esta demanda. Ele reforçou também que a instalação de hospital de campanha não faz parte do escopo do governo e o objetivo é equipar a rede hospitalar catarinense.

Durante a reunião, os prefeitos reforçaram o pleito por medicamentos, já comunicado por meio do ofício nº 38, que tem causado preocupação nas últimas semanas. “Já comunicamos a Coes [Central de Operações de Emergência em Saúde] e a Secretaria de Estado da Saúde da dificuldade na aquisição de insumos e medicamentos para internação. Além disso, reivindicamos envio de testes rápidos para auxiliar os municípios e ampliação da capacidade de testagem do Lacen”, destaca o presidente da Ammvi.

“O Vale do Itajaí está sendo bastante impactado pelo novo coronavírus e necessita dessa expansão da rede hospitalar. Nosso foco continua em garantir que não faltará tratamento para quem precise”, diz Motta Ribeiro. Na reunião, o secretário prometeu ampliação de leitos de UTI na Foz e no Alto Vale do Itajaí e afirmou que isso será feito nos próximos dias. No Médio Vale, cerca de 25% dos pacientes internados por Covid-19 são das regiões do entorno.

Kohler reforça a necessidade de diálogo entre municípios e Estado e que o trabalho integrado é imprescindível para o sucesso das medidas de enfrentamento ao novo coronavírus. “Todos os dias, em nosso discurso, está o apelo para que a população siga o isolamento social, fique em casa, não faça reuniões sociais, almoço de família, encontro de amigos e passeios”, finaliza o presidente da Ammvi.

Dados da região

Durante a reunião, o diretor do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Vale do Itajaí (Cisamvi), Cleones Hostins, apresentou alguns dados do Médio Vale ao secretário Motta Ribeiro, como também reivindicações da Comissão de Governança Regional para o enfrentamento do novo coronavírus. A Comissão reúne informações e assessora os gestores na tomada de decisão.

A região continua no estado gravíssimo na matriz de risco potencial do governo do Estado. No dia 21 de julho, quando fechou a semana epidemiológica, o Médio Vale apresentava 10.543 casos confirmados para Covid-19 e 74 óbitos. Estes dados eram 2.445 e 15, respectivamente, no dia 23 de junho. No último boletim divulgado pela Ammvi, dia 23 de julho, a região soma 11.745 casos confirmados e 80 óbitos.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.