banner chutze
banner dengue indaial
Banner Rodeio
PlayPause
previous arrow
next arrow

Prefeitos cobram do Estado maior agilidade no atendimento às filas de espera de cirurgias eletivas

Por Judson Lima

banner camara timbo maio
banner camara blumenau maio
banner_olia
banner Gula Mania
PlayPause
previous arrow
next arrow

SANTA CATARINA – Mais de 11 mil pessoas aguardam por um procedimento cirúrgico na região da Associação de Municípios do Vale Europeu (Amve). Este foi o número apresentado pelos prefeitos que, reunidos com o secretário de Estado da Saúde, coronel Aldo Baptista Neto, reivindicaram solução para a fila de espera de cirurgias eletivas. O assunto foi tema da assembleia geral da Amve, realizada na tarde desta quarta-feira (11), em Blumenau. O encontro contou também com a presença do secretário adjunto de Saúde, Alexandre Fagundes.

Para o presidente da Amve, Arão Josino, prefeito de Ascurra, a fila de espera é um grave problema para a região e tem preocupado os gestores municipais. Segundo ele, é necessário que o planejamento hospitalar de Santa Catarina seja cumprido e aconteça um esforço para a efetivação dos procedimentos que impactam na saúde da população.

Foto: Amve

“As cirurgias eletivas de média e alta complexidade dependem da Secretaria de Estado e, com a pandemia, as filas aumentaram consideravelmente.  Nós, prefeitos, em conjunto com os secretários municipais de Saúde, solicitamos ao coronel Neto que, de fato, priorize o atendimento da população que aguarda por cirurgia”, desabafa o presidente da Amve.

As cirurgias eletivas foram suspensas pela Secretaria de Estado da Saúde em março de 2020, quando iniciaram as medidas de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, com o objetivo de reservar o maior número de leitos clínicos, unidades de terapia intensiva e medicamentos para o tratamento de pacientes com a doença. Esta interrupção nas intervenções cirúrgicas resultou em uma grande fila de espera para a população do Vale Europeu.

“Reconhecemos o esforço e os investimentos feitos pelo Estado, também compreendemos que a demanda ficou reprimida por conta da pandemia, mas entendemos que é momento de cobrar do sistema hospital catarinense uma maior agilidade no atendimento à população”, finalizou Arão Josino, presidente da Amve.

 

Fonte: Comunicação Amve

você pode gostar também
BANNER PASCOA BLU
banner dengue indaial
banner_olia
PlayPause
previous arrow
next arrow
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

..