Posse da deputada Tati Teixeira aumenta representatividade da mulher na Alesc

Por Judson Lima

SANTA CATARINA – A deputada Thatianne Teixeira (MDB) tomou posse no Parlamento catarinense em ato realizado na semana passada no gabinete da presidência da Assembleia Legislativa. Na condição de quarta suplente da coligação Santa Catarina Pode Mais (PR-PRTB-PTB-PTC-PPS-Avante-DC), a parlamentar vai ocupar a vaga do deputado Maurício Eskudlark (PL), licenciado para tratar de assuntos particulares por trinta dias.

Na sua estreia como deputada estadual Tati Teixeira pontuou que o diálogo será sua maior ferramenta para conduzir os trabalhos no Legislativo. “Acredito que através do mandato de deputada, nós parlamentares podemos contribuir muito para a qualidade de vida dos catarinenses”, frisou.

De acordo com a parlamentar, durante o período que estiver na Assembleia, vai buscar conduzir sua rotina de maneira semelhante à sua atuação como vereadora. “Sempre trabalhei com gabinete itinerante, indo pra os bairros e comunidades. Como deputada também vou dar continuidade a essa forma de trabalho, porém com uma perspectiva diferente”, comentou. Entre as ações que pretende defender na Assembleia, a deputada destacou medidas para a defesa da pessoa idosa. “Pensando no futuro e no envelhecimento precisamos desde já adotar ações que possam contribuir para qualidade de vida de cada cidadão”.

Ao conduzir o ato de posse o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Julio Garcia (PSD), destacou a importância da mulher na política. “Para Assembleia é uma honra receber a deputada Tati Teixeira. Sua forma de trabalhar e seu espírito público só tem a contribui para o Legislativo”.

Já o deputado Maurício Eskudlark (PL) destacou a importância do rodizio com os deputados suplentes. “Já tive essa oportunidade de assumir como suplente e sei o quanto é importante. Períodos como esse que a Tati vai vivenciar no Legislativo nos faz ter mais vontade de participar cada vez mais da política”.

Trajetória política
Natural de Criciúma iniciou sua carreira política em 2008 sendo eleita vereadora de Criciúma pelo PSDB aos 29 anos, com 2.145 votos. Já em 2010 concorreu a deputada estadual, novamente pelo PSDB, e conseguiu 15.146 votos, mas não se elegeu. Dois anos mais tarde se reelegeu na Câmara Municipal de Criciúma, já pelo PSD, com 2.903 votos, sendo a terceira mais votada. Tati tentou ser vice-prefeita em 2016 na chapa com Cleiton Salvaro, mas a chapa acabou desistindo de concorrer. Pelo PPS a criciumense concorreu à deputada em 2018 e alcançou 11.256 votos.

Na Câmara de Vereadores de Criciúma em 2014, Tati, na condição de presidente do Parlamento municipal, teve a oportunidade de assumir como prefeita interina de Criciúma. Agora, como deputada estadual, a parlamentar passa a integrar a bancada feminina da Assembleia e o bloco de deputados representantes da região Sul no Legislativo estadual, hoje a maior bancada representativa de uma região, com nove deputados.

O ato de posse ocorreu respeitando-se as medidas adotadas para prevenção contra o Covid-19, as máscaras foram retiradas apenas para o registro fotográfico.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.