Peninha e Luciano Hang articulam solução para construções às margens dos rios

Parlamentar catarinense se reuniu com o empresário para discutir MP que pode sanar problema causado pelo Superior Tribunal de Justiça

SANTA CATARINA – O deputado federal Rogério Peninha Mendonça (MDB/SC) e o empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, articulam audiência com o presidente da República para os próximos dias. Levarão a Bolsonaro uma sugestão para resolver o problema causado pelo STJ, que determinou a aplicação do Código Florestal nas áreas urbanas dos municípios. A decisão afetou quase a totalidade das cidades brasileiras.

Em reunião na sede da Havan, em Brusque, Hang, Peninha e Rafael Pezenti fizeram contato por telefone com o subchefe de Assuntos Jurídicos, Pedro de Sousa, para articular a reunião. Os catarinenses colocarão nas mãos de Bolsonaro a minuta de uma Medida Provisória para sanar de forma imediata o problema.

Paralelo à negociação com o presidente da República, Peninha age nos bastidores em Brasília para acelerar a tramitação do PL 2510/19, de sua autoria, que transfere às Câmaras Municipais, via alteração nos planos diretores, o poder de determinar a distância em que construções podem ser erguidas às margens de rios, córregos e cursos d’água.

Entenda o caso

No final de abril, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) aprovou o Tema 1010  e definiu que o Código Florestal Brasileiro seja seguido no perímetro urbano das cidades brasileiras. Com isso, ficam impossibilitadas construções a menos de 30 metros de rios no perímetro urbano das cidades. A decisão também afeta residências e estabelecimentos já concluídos. O projeto 2510 do deputado Peninha, que tramita na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados, revoga a decisão e dá autonomia para que cada município defina sua área de APP na zona urbana, levando em conta as particularidades de cada região brasileira.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.