Natural de Rodeio, Leopoldo Tomelin, Veterano de Guerra é homenageado.

Leopoldo Tomelin nasceu em 21 de setembro de 1923. Casado há 70 anos com Belandina Tomelin de 93 anos, teve cinco filhos.

RODEIO – O Veterano da Segunda Guerra Mundial, Leopoldo Tomelin de 96 anos, recebeu da Associação Nacional dos Veteranos da Força Expedicionária Brasileira, Regional de Itajaí-SC, a Medalha Eternos Combatentes da FEB, em evento ocorrido na última terça-feira (01).

Por Anjodaguardafest.org

A medalha foi entregue pelo Subtenente Rubens Justiniano Evangelista, Chefe de Instrução do Tiro de Guerra 05-005, informou o site anjodaguardafest.org.

Justiniano falou sobre a importância das vitórias da FEB no contexto de êxitos obtidos pelas tropas dos países aliados contra o nazifascismo.

Leopoldo Tomelin nasceu em 21 de setembro de 1923. Casado há 70 anos com Belandina Tomelin de 93 anos, teve cinco filhos.

Para o Veterano Tomelin, a aliança e a valorização das lembranças da Força Expedicionária Brasileira, e a busca pelo reconhecimento social e material, tornam-se formas eficazes de produção de vínculos, diante de um propósito em comum, rememorar, divulgar e perpetuar a história dos Heróis da FEB na II Guerra Mundial.

Momento marcante na vida de Tomelin

Por Anjodaguardafest.org

Um dos acontecimentos mais marcantes na vida do Veterano da Segunda Guerra Mundial, Leopoldo Tomelin de 96 anos, nascido em 21 de setembro de 1923 no Município de Rodeio, Estado de Santa Catarina, foi quando estava a observar o Navio Americano de Transporte de Tropas General Mann atracado no cais do porto no Rio de Janeiro.

Longe de todos os soldados, onde um padre ao ver a cena do soldado catarinense sozinho, se aproxima, toca em seu ombro, indagando: o que aconteceu? O Pracinha da FEB com lágrimas nos olhos responde: Hoje é meu aniversário e como presente, irei para o desconhecido.

No mesmo dia, o Herói escreveu uma carta para seus pais. No trajeto até os correios, pisou em algo, ao observar, viu que era uma miniatura da imagem de Nossa Senhora Aparecida. Colocou no bolso da camisa onde guardou consigo durante o período que esteve em combate.

Embarcou no 2º Escalão no dia 22 de setembro de 1944, sob o comando do General Osvaldo Cordeiro de Farias, com 5.075 homens.

Já na Itália, em Montese por cerca de sete dias, Tomelin viu a morte de perto. Ele e seus colegas foram bombardeados. Muitos morreram. Para se salvar, se jogou em um buraco. Permaneceu ali por muito tempo com um zunido forte nos ouvidos. Seguiu para Monte Castelo, permanecendo cinco meses na linha de frente, onde acredita que sua vida foi protegida pela Santa.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.