IMG-20210628-WA0344
Arte Vacinação - indailal
PlayPause
previous arrow
next arrow

Mortalidade por covid-19 no Amazonas cai 92% com proxalutamida

Conforme resultado do estudo, a droga fez cair três vezes o tempo de internação e derrubou em mais de 90% a necessidade de intubação e de uso de oxigênio

gulamania
Rodeio 35
PlayPause
previous arrow
next arrow

BRASIL – O uso da proxalutamida no tratamento de um grupo de 294 pacientes em estado crítico por causa da covid-19 (coronavírus) no Amazonas fez a mortalidade cair 92,2%. A maioria deles estava contaminada pela variante P.1, a que tem predominado na segunda onda da doença no estado e em várias partes do país.

Além disso, a droga fez cair três vezes o tempo de internação e derrubou em mais de 90% a necessidade de intubação e de uso de oxigênio.

Os números são parte do resultado de um estudo realizado no Amazonas pela empresa norte-americana Applied Biology, em parceria com a rede de hospitais Samel.

A divulgação  em Manaus, no evento conduzido pelo presidente do grupo Samel, Luís Alberto “Beto” Nicolau.

Ao seu lado, os médicos Andy Goren (líder da pesquisa), o diretor clínico da Samel, Daniel Fonseca, Flávio Cadegiani e Ricardo Zimerman, ambos da equipe de pesquisadores.

De acordo com a equipe científica, os resultados com a proxalutamida nessa mostra de 294 pacientes, na capital e no interior do Amazonas, foi sensacional.

Segundo Beto Nicolau, o estudo provou que a proxalutamida é provavelmente o primeiro medicamento oficialmente pesquisado para tratar a nova variante da covid, a P.1.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.