Médico investigado por abreviar vidas em Itajaí está proibido do exercício da medicina

Por Judson Lima

ITAJAÍ – A Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça no Hospital Marieta Konder Bornhausen em Itajaí e na residência do médico Gustavo Deboni da Silva, investigado por suspeita de abreviar vidas de pacientes. A ação é da Divisão de Investigação Criminal (DIC) na última sexta-feira (08).

Segundo apurado no procedimento investigativo, os fatos ocorriam no interior do hospital. As buscas visam descortinar um suposto hackeamento do sistema do hospital e, com isso, verificar se esse fato tem alguma ligação com a atuação do médico e/ou algum servidor, já que ocorrida logo após a notícia da suposta abreviação de vidas.

Também foi cumprida busca na residência do médico. Foram apreendidos os “logs” do sistema do hospital e alguns documentos. Houve também, por parte do Poder Judiciário, a fixação de medida cautelar da proibição do exercício da medicina em desfavor do médico Deboni. Ele também segue proibido de ministrar aulas e atuar na gestão/administração de hospitais.

Após a perícia técnica a ser realizada pelo Instituto Geral de Perícias (IGP), a DIC deve concluir o inquérito policial dentro do prazo legal.

A defesa do médico Gustavo, informou a imprensa que a ação da Polícia é vista como natural, pois faz parte dos desdobramentos do inquerito, e que o profissional nega irregularidades nos atendimentos.

A DIC reitera que informações sobre a prática de crimes podem ser encaminhadas ao e-mail [email protected], telefone 47 33482004, WhatsApp (48) 98844-0011 ou ainda na Rua Expedicionário Aleixo Maba, 199, Barra do Rio, Itajaí. O anonimato é garantido.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.