Slider

Lei reconhece Dialeto Trentino como Patrimônio Cultural Imaterial de Rodeio

Por Judson Lima

RODEIO – Foi publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (26) a Lei Ordinária Nº 2178 que reconhecido o Dialeto Trentino como Patrimônio Cultural Imaterial do Município de Rodeio. O prefeito Valcir Ferrari sancionou o projeto no último dia 24 de março.

Como o Dialeto Trentino, variedade linguística do idioma italiano, é uma das expressões culturais de Rodeio e, portanto, um patrimônio imaterial – herança cultural dos imigrantes trentinos/tiroleses, que povoaram o Município.

Pela publicação determinada a inscrição do registro de que trata esta lei no Livro de Registros dos Saberes do Patrimônio Cultural Imaterial do
Município de Rodeio, o ato entrou já entrou vigor na data de sua publicação.

Justificativa da Lei 

Entende-se patrimônio cultural imaterial ou intangível, a partir do debate estabelecido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), como as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas – com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados – que as comunidades, os grupos e, em alguns casos os indivíduos, reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural”. Ou seja, o patrimônio imaterial não é um objeto que pode ser tocado, e sim, algo que faz parte da cultura e da memória, como a gastronomia, língua, religiosidade, indumentária e entre outras características.

O Dialeto Trentino é uma variante linguística do idioma italiano, trazido para Rodeio a partir dos primeiros imigrantes tiroleses, de nacionalidade austríaca, em 1875. A variante linguística é utilizada cotidianamente pelos cidadãos de nosso município e utilizado em nomeações de pontos turísticos, tendo em vista o Picol Paradis, e também no comércio. Além do mais, foi aprovado nesta Casa, por meio da Lei nº 2.156, de 14 de julho de 2020, que o Dialeto Trentino passou a ser considerado língua co-oficial à língua portuguesa, no município de Rodeio.

Vale destacar também, que a trentinidade é um elemento identitário muito forte na história, cultura e turismo do município de Rodeio.

Sendo reconhecida desde 1988 como o “Vale dos Trentinos”, possuindo o maior Museu de História Trentina fora da Itália, várias relações com a província que movimentaram atividades socioeconômicas desde os anos 1980, grupos folclóricos que buscam preservar as tradições, além de cerca de 70% da população possuir descendência trentina. Por fim, cabe mencionar que Rodeio recebeu recentemente o título de “Capital Catarinense Trentina” a partir da Lei Ordinária 17794/2019.

Desta forma, esse projeto de lei não só colabora para a manutenção da cultura, através da preservação linguística do dialeto trentino entre os munícipes, como também fomenta o turismo local e viabiliza para o município de Rodeio conseguir ainda mais argumentos para buscar o título de Capital Nacional dos Trentinos, junto ao Governo Federal, em Brasília.

O benefício do projeto de lei é permanente, estabelecendo a manutenção do patrimônio cultural imaterial dos nossos munícipes através da preservação linguística do Dialeto Trentino, motivos pelos quais solicitamos que o mesmo seja submetido a apreciação do distinto plenário desta Casa de Leis.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.