Slider

Irmãos Scherer mataram Geyson por meio cruel, não houve invasão, todos estavam na mesma festa em Timbó, diz promotor

Por Judson Lima

TIMBÓ – O Promotor de Justiça Alexandre Daura Serratine apresentou denúncia na justiça no dia 11 de março contra Mateus Scherer de 23 anos e seu irmão de 16 anos, por homicídio qualificado por motivo fútil, meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima e corrupção de adolescente. Os irmãos Scherer são envolvidos no brutal assassinato de Geyson Mendes, que foi espancado até a morte na noite do dia 27 de fevereiro deste ano, no Beco Fritz Riske no bairro Pomeranos em Timbó , e ao contrário do alegado pelos agressores, não houve invasão a residência, todos estavam na mesma festa, afirma a promotoria.

Mateus está preso no presidio Regional de Blumenau, e no entendimento do agente ministerial, ele deve aguardar preso todo o processo criminal, pela gravidade com que foi cometido, “a soltura do Mateus traz intranquilidade ao andamento processual e pode influenciar na produção da prova judicial, quer por ameaça as testemunhas ou por outros meios que possa prejudicar a produção dessa prova em juízo”, cita Serratine.

Já para o irmão infrator, que cometeu Ato Infracional ao contribuir diretamente para o desfecho da morte, foi realizado pedido de internação do infrator.

No caso no juvenil Scherer , que estava foragido até ontem (22), caberá a promotora de justiça Cristhiane Michelle Tambosi Fiamoncini Ferrari e a juíza de direito Fabíola Duncka Geiser definir se o infrator vai aguardar o andamento da apuração em liberdade ou internado, conforme solicitado pelo Ministério Público.

“Não trabalhamos com a ideia que o homicídio foi uma fatalidade, nós trabalhamos com a vontade livre e consciente do réu em matar a vítima. as testemunhas foram quase que unanimes em afirmar a barbárie que aconteceu. Há a vontade sim de Mateus acabar com a vida da vítima” afirmou o promotor.

O advogado criminalista Jeremias Felsky é o responsável pela defesa dos irmãos e durante a instrução processual a defesa vai trazer outras testemunhas para combater essa versão apresentada pelo agente ministerial.

Um crime cruel e brutal

Promotor Serratine/ Foto:Radio Cultura

Como se deu o crime – segundo o Ministério Publico – Geyson Mendes foi convidado para uma festa, ela não invadiu o espaço, tanto o réu e o irmão infrator e a vítima estavam todos na festa. Ocorreu um contenta entre Mateus e Geyson, para saber quem levava a melhor, com a vítima dominado o réu Mateus, no primeiro momento.

Passados alguns minutos da primeira situação, e com a clima aparentando tranquilidade, Mateus e o irmão surpreenderam Geyson e os dois passaram a agredir fisicamente, quando Geyson caiu ao chão e continuou sendo brutalmente espancado com violência com chutes, socos, pisões, sempre na região do pescoço e cabeça o que acabou gerando o traumatismo crânio encefálico que gerou a morte da vítima.

Ainda caído ao chão e já sem vida, segundo o MP, as agressões continuaram, até a chegada da Polícia Militar. Muitos vizinhos tentaram socorrer a vítima, mas foram impedidas por causa da ação do adolescente que de posse de uma arma de fogo, arma essa que não foi apreendida, não deixava ninguém se aproximar, enquanto a sessão de brutalidade ocorria na frente da casa onde ocorria a festa. Esses fatos descritivos narrados que serão trabalhadas pelo Ministério Público no processo.

Essas informações foram apresentadas pelo Promotor de Justiça Alexandre Daura Serratine  durante entrevista na manhã desta terça-feira (23) ao Jornal da Rádio Cultura de Timbó.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.