Banner Rodeio Saúde
Banner educação Rodeio
PlayPause
previous arrow
next arrow

Investigações sobre morte da jovem de Rio Sul são iniciadas em Indaial

gulamania
Banner educação Rodeio
PlayPause
previous arrow
next arrow

INDAIAL – A morte de Patrícia Bianchini, moradora de Rio do Sul, está sendo investigada pela Delegacia de Policia Civil de Indaial, informou o titular Romildo Parno na tarde desta quarta-feira (28). Patrícia participou de uma festa na casa noturna Matahari em Indaial, depois de chegar a sua residência passou mal em Rio do Sul, foi levada para o Hospital Regional e transferida para Blumenau, aonde veio a óbito.

Um tio da jovem registrou ontem um B.O por morte acidental na Central de Plantão Policial – CPP do Garcia em Blumenau. Como os fatos teriam ocorrido em Indaial, as circunstâncias da causa da morte já está sendo investigada pela equipe comandada pelo Delegado João da Cunha Neto, o inquérito foi aberto ontem.

Depois da liberação do laudo cadavérico com a confirmação da causa morte, será juntado ao procedimento investigatório para tentar elucidar o fato.

A reportagem tentou contato com a direção do Matahari localizado no bairro Mulde, mas não teve retorno.

Patrícia Bianchini foi sepultada na manhã desta quinta-feira (29) no Cemitério Jardim Primavera no bairro Fundo Canoas em Rio do Sul.

Caso Amanda Alcântara Martins

Judson Lima/Foto:Reprodução Facebook

Em 2015, a jovem Amanda Alcântara Martins de 22 anos, morreu depois de passar mal dentro da casa noturna, ela recebeu atendimento no local pela equipe de socorristas contratada pelo próprio Matahari, foi encaminhada para o hospital, mas não resistiu a sucessivas paradas cardiorrespiratórias.

Na época deste caso, o corpo já havia sido sepultado quando a policia tomou conhecimento dos fatos, também não houve registro da ocorrência por parte da família, não foi feito laudo cadavérico e o inquérito foi encaminhado para o Ministério Publico, mas houve o arquivado por falta de conclusão devido à ausência de materialidade técnica, comentou o Delegado Romildo Parno que foi o responsável pelas investigações deste caso.

Na época a direção do Matahari também não se pronunciou sobre o ocorrido.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.