A notícia além do olhar técnico!

Intervenção com violoncelo na recepção de hospitais é o novo projeto de ONG de Blumenau

BLUMENAU – O clima tenso da espera, a ansiedade em visitar um ente querido que está internado ou até mesmo a incerteza de quem passa por um procedimento cirúrgico. Essas sensações comuns de uma recepção de hospital estão sendo transformadas através de um novo projeto de uma ONG de Blumenau (SC), os Trapamédicos.

O Trapacello iniciou na tarde de hoje (5), no Hospital Santa Isabel. A ideia é fazer intervenções com violoncelo – o Felitchello, como é chamado – e dois doutores em besteirologia, com intuito de modificar esses ambientes com música e sorrisos.

Intervenção com violoncelo na recepção de hospitais é o novo projeto de ONG de Blumenau

O projeto é comandado por Carolina de Almeida Coelho Waccholz, psicopedagoga e coordenadora da Escola de Música do Teatro Carlos Gomes. Nos Trapamédicos, sua personagem é a Dra. Rolinha. “Entendemos que para o paciente é uma situação difícil, mas para quem acompanha também é muito complexo. Com esse projeto, buscamos estender o acolhimento proporcionado nos quartos para o espaço da recepção, tornando essa espera em um momento um pouco mais agradável”, diz.

O Trapacello acontecerá uma vez por mês, sempre às sextas-feiras, às 14h. O próximo será em maio, no Hospital Santa Catarina.

Além deste projeto, as visitas semanais com os besteirologistas seguem normalmente, assim como o TrapaPet, que realiza intervenções com cães e voluntários. Os patrocinadores dos Trapamédicos são Unimed Blumenau, Hospital do Pulmão e Agrosul Catarinense – Royal Canin.

Sobre os Trapamédicos
Doutores em besteirologia que buscam transformar a rotina de quem está em tratamento. É assim que trabalham os voluntários do Trapamédicos, organização sem fins lucrativos que há mais de uma década atua em Blumenau (SC).

Os palhaços de hospital levam semanalmente um clima de descontração para os pacientes que visitam e alertam: eles não querem fazer rir, mas deixar o dia a dia de quem passa por situações difíceis um pouco melhor e mais leve. Em 2013 o projeto ganhou uma vertical: o Trapapet, em que os cães dos voluntários são treinados para realizarem visitas no Asilo São Simeão e também à Ala Psiquiátrica do Hospital Santa Catarina.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.