A notícia além do olhar técnico!

Indaial realiza ações na Semana Municipal de Combate à Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher

INDAIAL – A Secretaria de Desenvolvimento Social de Indaial, através do Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), realizará na Semana Municipal de Combate à Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher algumas atividades para mobilizar a sociedade no enfrentamento a esse tipo de violência.

No dia 20, segunda, das 9h às 11h, profissionais do Creas e da Secretaria de Saúde estarão em frente à Prefeitura distribuindo material educativo sobre o tema e prestando orientações.

Já no dia 24, sexta, às 9h, na Câmara de Vereadores (rua Pref. Frederico Hardt, 148, Centro), será apresentada a peça teatral “Basta” pelo Grupo de Teatro Detalhe. O espetáculo retratará os vários tipos de violência contra a mulher que ainda são muito comuns nos dias de hoje, tem duração aproximada de 50 minutos e é aberta à comunidade em geral.

Através de um programa de televisão (auditório), apresenta-se o quadro “Um dia de Mulher”, no qual é mostrado o dia a dia da dona Madalena, desde que acorda até o fim do dia. No decorrer da peça são retratadas situações como: humilhação no trabalho e em casa; assédio no trabalho, na rua, no médico; sobrecarga no trabalho; filho igual ao pai e violência doméstica.

Sobre a Violência Contra as Mulheres

A luta contra a violência doméstica não é de hoje. Em 1991, 23 mulheres de diferentes países lançaram a campanha dos 16 Dias de Ativismo com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo.

As heranças do passado ainda se fazem presentes na sociedade atual, na forma de desigualdades culturais entre homens e mulheres, da errônea ideia da submissão da mulher ao homem, do preconceito em relação à própria capacidade da mulher que é tida como “sexo frágil”.

De acordo com a assistente social Simone Fourlan Nandi, coordenadora do Creas, “onde deveria existir uma relação de afeto e respeito, passa a existir uma relação de violência. Apesar de ser um crime e grave violação de direitos humanos, a violência contra a mulher segue vitimando milhares delas. Em nossa sociedade, todos os dias, um grande número de mulheres são submetidas a alguma forma de violência”.

A Lei Maria da Penha prevê uma série de medidas e mecanismos para oferecer proteção à mulher em situação de violência doméstica, como afastamento do agressor do lar, proibição de contato com a mulher ou de frequentar os mesmos lugares, entre outras ações.

Quando a mulher sofre algum tipo de violência, o primeiro passo é registrar boletim de ocorrência, depois solicitar a medida protetiva de urgência na delegacia. O delegado encaminha solicitação de medida para o Juiz da Vara Criminal, que, quando assinada, encaminha ao Creas para fazer o acompanhamento psicossocial.

Existe a Central de Atendimento à Mulher, a qual funciona 24 horas por dia, recebendo ligações de qualquer lugar do país, para fornecer informações e encaminhar denúncias aos órgãos competentes. A ligação é gratuita de telefone fixo ou celular pelo número 180.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.