A notícia além do olhar técnico!

Furb avalia congelar valor das mensalidades dos alunos em 2021

O Conselho Universitário (Consuni) da Furb vai avaliar na quinta-feira (12) a possibilidade de congelar o valor das mensalidades

O Conselho Universitário (Consuni) da Furb vai avaliar na quinta-feira (12) a possibilidade de congelar o valor das mensalidades dos cursos da universidade em 2021. Proposto pela gestão, o “reajuste zero” precisa ser apreciado pelo colegiado, soberano na deliberação de assuntos que envolvam políticas acadêmicas, administrativas e financeiras da instituição.

A reitora Márcia Sardá Espíndola está confiante no aval. Lembra que o mesmo Consuni já aprovou, no início de setembro, o congelamento das mensalidades da Etevi, o ensino médio da Furb.

A medida faz parte de um conjunto de ações que a universidade vem adotando para reter os estudantes em um ano tão atípico marcado pela pandemia. Elas incluem a flexibilização no pagamento de mensalidades, com possibilidade de parcelamento, e isenção de juros e multas daquelas vencidas.

Estudantes que comprovarem perda de renda ou emprego neste período também podem fazer o parcelamento integral das mensalidades. E débitos relativos ao primeiro e segundo semestres de 2020, inclusive de dívidas renegociadas, não serão inscritos no SPC até 30 de dezembro.

Baixa evasão

Segundo Márcia, as medidas garantiram que a média de evasão de alunos fosse mantida em baixo patamar em 2020. A universidade comemora: 94% dos estudantes veteranos fizeram a rematrícula para o segundo semestre.

— Nos anos anteriores, quem não estava com a mensalidade em dia nem podia renovar a matrícula — lembra.

As flexibilizações também contribuíram para a redução da inadimplência. Ela chegou a disparar no início da pandemia, mas encerrou o semestre em 9,3%. A título de comparação, um levantamento recente divulgado pelo Sindicato das Instituições de Ensino Superior Privado (Semesc) apontou que a taxa de inadimplência das faculdades no Brasil aumentou 30% no primeiro semestre de 2020 em relação ao mesmo período do ano passado.  

                                                                                           ///Por Pedro Machado///

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.