Foco de raiva é detectado em Lontras

O foco foi detectado em uma equina no município de Lontras. Com a raiva, o animal muda o comportamento e tem dificuldade de locomoção, em alguns casos pode se tornar agressivo.

LONTRAS – Um caso de raiva herbívora foi detectado na cidade de Lontras pela Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc). Segundo informações divulgadas pelo órgão, uma égua foi contaminada pela doença e acabou vindo a óbito quatro dias após ser diagnosticada com os sintomas. O animal estava na localidade de Alto Cutias. Nos últimos três anos este é o segundo caso registrado no Alto Vale, o que traz a tona a importância da vacinação dos animais, já que a doença também é transmissível aos humanos.

O proprietário da égua percebeu que o animal estava mais nervoso do que de costume e, desconfiado, acionou a Cidasc de Rio do Sul, que compareceu ao local e constatou que o equino tinha dificuldades de locomoção, mudança de comportamento, emagrecimento progressivo e tinha vestígios de ter sido mordida por um morcego hematófago.

Após a morte da égua, a Cidasc coletou material do Sistema Nervoso Central para análise, o que positivou para raiva herbívora. O órgão alerta ainda que toda a comunidade, em um raio de cerca de quatro quilômetros deve ficar em alerta.

De acordo com um médico veterinário da Cidasc, existem mais de 1000 espécies de morcegos. Mas somente três são hematófagos. Todos os morcegos podem carregar o vírus da raiva, mas para que ocorra a transmissão é necessário o contato da saliva com o sangue. Por isso os morcegos hematófagos, conhecidos popularmente como vampiros, que se alimentam de sangue dos animais, são os transmissores mais frequentes. As presas preferidas são mamíferos mansos, como cavalos e porcos.

A alimentação ocorre a noite, quando os alvos normalmente estão dormindo. Se o morcego possui o vírus da raiva, ele é transmitido através da saliva. Do contrário, a mordida não causa grandes malefícios aos animais, exceto pelas pequenas feridas.

Em humanos as chances de ocorrer uma mordida é muito pequena. A bióloga de Blumenau, Sabrina Lenoir, explica que, diferente do que é visto em filmes, o morcego não ataca pessoas e tampouco permanece grudado em pescoços.

PARA AJUDAR NO CONTROLE DA RAIVA.

– Vacine seu rebanho contra a raiva;

– Informe ao escritório da Cidasc mais próximo sempre que seus animais ficarem doentes e apresentarem dificuldade para caminhar, se alimentar, e/ou agressividade.

Caso animais apresntem marcas de mordedura causada pelo morcego hematófago, comunique a Cidasc, mesmo que não estejam doentes.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (48) 99151-7005.

*Informações Cidasc

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.