Estado de Greve em Indaial é aprovado pelo Sinserpi

POLÍTICA – Por ampla maioria os sindicalizados do Sindicato dos trabalhadores no Serviço Público Municipal de Indaial – SINSERPI decidiram nesta quarta-feira (09), rejeitar a contraproposta do prefeito André Moser (PSDB) e vice Tirol (PSD) sobre o aumento real de 0,2 % que seria complementado com 2,8% de reposição a qual os servidores têm direito por lei, na mesma assembleia foi decidido que os servidores estão em Estado de Greve em Indaial.

Os Servidores cobram que André Moser honre com o compromisso de campanha, que inclusive foi assinado na época eleitoral.

“Estamos cobrando o compromisso dele, em campanha, um dos itens da carta aos servidores públicos, é a valorização dos servidores, ele que demonstre isso através de um aumento real”, comentou em entrevista Ivo Schnaider presidente do Sinserpi.

Judson Lima/Foto:Reprodução

Os Servidores decidiram pela continuidade da negociação salarial até que se chegue ao percentual de 5%. Quanto ao vale alimentação, a assembleia definiu pela majoração entre R$ 21,00 e R$ 25,00, hoje Moser quer dar R$ 19,57.

Também foi aprovado o Estado de Greve, Paralisação e Manifestações fora de horário de trabalho, inclusive ressalta-se que o Estado de Greve é um indicativo que a qualquer momento os funcionários podem paralisar suas atividades.

Na manhã desta quinta-feira (10) aconteceu mais uma rodada de negociações, onde os representantes do SINSERPI e membros da Comissão da Rodada de Negociação do Acordo Coletivo levaram ao conhecimento do Executivo as definições da assembleia.

Mesmo com aumento da carga tributaria e arrecadação com impostos que tiveram índices de aumento entre 100% a 300% como é o caso da Cosip, e taxas do imposto predial, imposto territorial, taxa de urbanização, e taxa de coleta de lixo. Moser disse que o Município não tem dinheiro para arcar com o aumento dos servidores públicos, vale lembrar a administração de André Moser aumentou os gastos mensais com os Cargos Comissionados segundo dados do Portal da Transparência, em fevereiro de 2016 eram gastos cerca de R$ 293 mil por mês com 90 comissionados, em fevereiro de 2018 a folha mensal chegou a aproximadamente R$ 553 mil reais com 128 comissionados.

Mesmo não sendo aceito pelo Sinserpi, a Prefeitura irá repassar neste mês de maio o aumento real de 0,2% e a reposição que o funcionalismo tem direito.

Como a assembleia que rejeitou a contraproposta da Prefeitura não foi fechada haverá continuidade das negociações de aumento salarial real e vale alimentação e para a próxima reunião está pautada a discussão sobre as licenças para tratamento de pessoa da família.

Judson Lima

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.