Epagri confirma cigarrinha-do-milho em Rodeio e Região do Alto Vale

Por Judson Lima

RODEIO – A Epagri vem monitorando em Santa Catarina, a incidência da cigarrinha-do-milho, inseto-vetor das doenças denominadas de enfezamentos na cultura do milho, tem ocorrido de forma generalizada em todas as regiões e com danos econômicos variáveis na safra 2020/2021.

Na Região do Vale , segundo a Epagri , há registros recentes no município de Rodeio onde algumas lavouras apresentaram sintomas severos em “reboleiras”, levando a morte das plantas em questão de poucos dias.

As macrorregiões mais afetadas são o Meio-Oeste, Oeste, Extremo-Oeste, Planalto Norte e Planalto Serrano. O dano varia com a época de plantio e a variedade de milho plantada, entre outros fatores.

Sintomas surgem em algumas folhas causando redução do potencial produtivo das plantas

Nas semeaduras mais tardias e de segunda safra a pressão da doença está  se intensificando.  A estimativa,  até o momento, quanto à área atingida no Alto Vale do Itajaí é de 5%, em torno de 2,5 mil hectares. As maiores incidências da cigarrinha-do-milho têm ocorrido nos municípios de Ituporanga e vizinhanças.

Essa constatação tem sido registrada por extensionistas da Epagri e técnicos de cooperativas, de empresas de assistência técnica e de agropecuárias. A equipe de extensão do Programa Grãos da Epagri compilou esses dados e apresenta um relato da situação atual nas principais regiões do Estado.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.