Engenheira sanitarista assume Defesa Civil de Ibirama

Por Judson Lima

IBIRAMA – A Defesa Civil de Ibirama está sob a gestão de uma nova coordenadora desde segunda-feira (17). A engenheira sanitarista, Daniele Girardi, assumiu a pasta no lugar do engenheiros civil, Maurélio de Andrade, que deixou o cargo para atuar na iniciativa privada.

A nomeação, assinada pelo prefeito de Ibirama, Adriano Poffo, mostra a valorização das mulheres na administração municipal. “Atualmente, nossas principais secretarias são geridas por mulheres. Temos a Izabel, na Saúde, a Marilene, na Educação, e a Fabiani na Assistência Social. A Dani mostrou uma grande dedicação e competência quando estagiária da nossa Defesa Civil e não tenho dúvida que fará um grande trabalho à frente desta importante pasta”, destacou o prefeito.

Daniele tem 27 anos e formou-se recentemente no curso de Engenharia Sanitária pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Ela iniciou na Defesa Civil de Ibirama em abril de 2019, como estagiária, na época sob coordenação de Fernando Jost.

Em 2020, Andrade assumiu a Coordenadoria dando continuidade aos trabalhos e encarando os desafios diários do órgão. “Posso dizer que tive dois grandes professores e excelentes aulas práticas. Meu objetivo é dar continuidade ao trabalho que já vinha sendo realizado por eles”, destacou Daniele.

Projetos em andamento

Em relação a continuidade dos trabalhos, Daniele destaca que a prioridade é com relação aos seis imóveis que ainda estão interditados após a enxurrada do fim do ano passado e que não possuem mais condições de moradia. “Estamos buscando junto a Defesa Civil do Estado os kits de casas modulares para estas famílias que ainda estão desalojadas ou dependentes do aluguel social. Esse projeto é de extrema importância para o nosso município, pois através dele poderemos trazer um pouco de conforto para a população que perdeu sua moradia após o evento de enxurrada em dezembro do ano passado”, explicou a nova coordenadora.

Outro ponto de atuação é relativo a atualização do mapeamento das áreas de risco do município. “A Defesa Civil de Ibirama tem em mãos esse acervo, porém, com os eventos posteriores ao mapeamento inicial, é fundamental que seja feita esta atualização, pois existem lugares de risco que ainda não estão mapeados, como é o caso das áreas atingidas pela enxurrada”, afirmou.

Daniele afirma que pretende estreitar ainda mais as relações com a Udesc, principamente em relação ao uso do Laboratório de Geotecnia. “Tais mapeamentos são ferramentas de extrema importância na tomada de decisões, pormeio deles conseguimos trabalhar com a prevenção, evitando que novas moradias sejam construídas dentro das áreas de risco”, finalizou.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.