Em nota Hospital de Ibirama diz que troca de corpos foi equivoco de funerárias e abriu sindicância para apurar o caso

Por Judson Lima

IBIRAMA – A Direção do Hospital Waldomiro Colautti se pronunciou sobre a troca de dois corpos pertencentes a duas idosas de 92 e 94 anos, que faleceram na segunda-feira (15). Em nota foi descrito que as funerárias equivocadamente fizeram as trocas. “comunicado os óbitos as famílias, e estas contactaram as funerárias de suas escolhas, para o acolhimento e translado dos corpos. A funerária de Presidente Getúlio, contactada pela família de I.M de 94 anos, chegou ao hospital antes da funerária contratada pela família de Ascurra, e equivocadamente, sem ter realizado a identificação, levou o corpo da paciente E.W de 92 anos para preparo, velório e enterro. Após o corpo da paciente I.M. foi encaminhado ao necrotério, onde a funerária contratada pela família de Ascurra, levou o corpo de I.M. para preparo, velório e enterro em Ascurra, ocorrendo nesse momento o segundo equívoco”.

A direção ratificou que o Hospital Doutor Waldomiro Colautti realizou todos os protocolos de identificação dos corpos, como preconizado pelo Núcleo Interno de Segurança do Paciente.

Diante da gravidade da situação foi aberto um processo de sindicância administrativa (investigativa) para apurar os fatos.

A nota é assinada pela Diretora do Hospital Waldomiro Colautti, Silvana Leite da Costa, pelo Gerente Técnico Nilson Carvalho Correa, por Emerson Dumes que é Gerente Administrativo e Heloisa Pereira de Jesus, Gerente de Enfermagem.

Uma equipe da Polícia Civil de Ascurra comandada pelo Delegado Ronnie Esteves acompanhou o caso, o corpo que já havia sido sepultado em Presidente Getúlio foi exumado e devolvido aos familiares em Ascurra.

Um inquérito que visa apurar as circunstancias e responsabilidade dos envolvidos será aberto pela Delegacia de Polícia Civil da cidade de Ibirama.

O Hospital também confirmou que as duas idosas não morreram de Covid-19.

 

Nota a Imprensa
Nota a Imprensa

 

Caso lamentável

A troca dos corpos somente foi descoberta quando a família da senhora Elizia Wunsch de 92 anos, moradora do Ilse em Ascurra abriu o caixão no momento em que ocorria o velório.

Os familiares acionaram a Polícia Militar e Polícia Civil para comunicar o fato, e depois descobriram que dona Elizia havia sido sepultada como se fosse outra pessoa em Presidente Getúlio.

você pode gostar também
1 comentário
  1. Rachel Diz

    E a família de presidente Getúlio como que não viu que não era um me.bro da família????? Que havia sido velado e enterrado????

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.