A notícia além do olhar técnico!

Dois secretários da prefeitura de Rio do Sul estão entre os presos pelo GAECO na Operação Curupira, confira a lista dos investigados.

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), em apoio à 5ª Promotoria de Justiça da Comarca de Rio do Sul, deflagrou a operação "Curupira

ALTO VALE – A Operação Curupira que apura crimes contra a administração pública e o meio ambiente, deflagrada pelo GAECO cumpriu oito mandados de prisão preventiva, sete afastamentos das funções públicas e 28 mandados de busca e apreensão nos municípios de Rio do Sul, Lontras, Ibirama, Aurora, Ituporanga, Taió e Salete.

Judson Lima/Foto:Reprodução

Em Rio do Sul foram presos, o Secretário de Infraestrutura, Aldonir Xavier, o secretário de Obras e Agricultura, Rômulo da Rosa Ouriques,Tarcísio Testoni, funcionário da infraestrutura, e Anderson Luis Goral, diretor de meio ambiente.

As outras pessoas presas preventivamente por determinação da justiça são: Juliano César Goral, Walter Reichert, Rodrigo Reichert e Nilzon Reichert.

Também estão sendo investigados: Grasiela Medeiros, Nilton Xavier, Márcio Testoni, Odair Fernandes, Ricardo Pagel, Edipo Luis Franzoi, Jânio José Moreira, Matheus Leite Hodecker e as empresas Eligemar Indústria de Confecções, ANR Extração Mineral, Terraplanagem Azza, Walter Reichert e Cia, Cepan Projetos Administrativos e Ambientais Nascentes do Vale, Franzoi Distribuidora Agropecuária, Sepate Serviços de Pavimentação e Terraplanagem, Prefeitura de Rio do Sul, Secretarias de Obras e Infraestrutura, Instituto do Meio Ambiente, além das secretaria de obras e infraestrutura de da prefeitura de Lontras.

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), em apoio à 5ª Promotoria de Justiça da Comarca de Rio do Sul, deflagrou a operação “Curupira” nesta terça-feira (10), sendo que outras informações não serão repassadas para não atrapalhar as diligências e investigações, informou o MPSC.

Em notas a prefeituras de Rio do Sul diz que está colaborando com as investigações. A prefeitura de Lontras cita que somente o setor do Meio Ambiente teve busca e apreensão e que foi acompanhada pelo setor jurídico municipal.

Já a administração municipal de Ibirama informou em nota a imprensa que a sede da Prefeitura não foi alvo da Operação Curupira.

A reportagem não conseguiu contato com os outros citados.

 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.