Descobrimento do Brasil e Dia do Índio são destaques no Parlamento Jovem

INDAIAL – No dia 22 de abril de 1500, caravelas da esquadra portuguesa, comandadas por Pedro Álvares Cabral, chegaram às terras brasileiras por acaso, após a rota traçada para a Índia ter sido desviada em razão de problemas climáticos.  Esta é a história do descobrimento do Brasil, mas será que o termo descobrimento é usado corretamente, visto que as terras já eram habitadas pelos índios? 

Estas e outras questões relacionadas ao descobrimento do Brasil e ao Dia do Índio foram apresentadas durante a sessão do Parlamento Jovem, que ocorreu na quinta-feira (19). Para a vereadora jovem Amanda Cristina de Almeida, a chegada dos portugueses ao Brasil pode ser definida, principalmente pelos índios, como uma invasão.

– Os nossos antepassados indígenas receberam os portugueses muito bem, só que eles não imaginavam que naquele momento se dava o início da destruição, e que o interesse dos portugueses era por outras coisas: explorar e roubar todo esse imenso território – destacou.

A presidente da Mesa Diretora, Karine Hermann, fez uma homenagem ao Dia do Índio, comemorado em 19 do abril. A vereadora lembrou que eles foram os primeiros habitantes do Brasil, mas que depois de maltratados e dizimados, representam hoje uma parcela muito pequena da população.

Para a presidente, os povos indígenas merecem da nossa sociedade e da administração pública brasileira respeito e atenção por suas causas e necessidades. “O Poder Público deveria dar atenção máxima a estes povos, cujo objetivo único de vida é viver em paz com seu ambiente”, acrescentou Karine.

Tiradentes

Anos mais tarde na história do Brasil, mais precisamente na década de 1780, surgiu o movimento chamado Inconfidência Mineira, liderado por Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes). A vereadora jovem Melina Heckmann contou um pouco desta história, em comemoração ao Dia de Tiradentes (21 de abril).

Segundo pesquisa feita pela estudante, a Inconfidência Mineira tinha como principal objetivo o rompimento com Portugal, que cobrava altas taxas do Brasil. Ela conta que em 1789 o movimento foi descoberto e interrompido pelas tropas oficiais, após a delação de um dos integrantes: Joaquim Silvério dos Reis.

Em 1792, os inconfidentes foram julgados, mas apenas Tiradentes, com poucas influências econômicas e políticas, foi condenado à forca, sendo executado em 21 de abril do mesmo ano. Segundo a vereadora, Tiradentes é considerado um herói nacional, “pois lutou pela independência do Brasil, num período em que o país sofria o domínio e a exploração de Portugal”.

Posse e indicações

Ainda durante a reunião ordinária, o suplente de vereador jovem, Nicolas Trindade Antunes, tomou posse, assumindo o lugar de Elisabeth Floriano de Liz, que renunciou ao cargo. Nicolas representará a Escola de Ensino Fundamental Professor Florentino Vetter até o final deste mandato, que se encerra em julho.

Os vereadores jovens também discutiram e aprovaram duas indicações, de autoria da presidente, Karine Hermann. As proposições solicitam a construção da cobertura da quadra de esportes do Colégio Municipal de Indaial e a ampliação do abrigo de passageiros localizado em frente ao mesmo colégio.

O vereador jovem João Campestrini, por sua vez, apresentou uma série de reivindicações, que foi elaborada por representantes da Escola de Educação Básica Prefeito Germano Brandes Júnior e já encaminhada ao prefeito André Moser.  Entre os pedidos, está a construção de calçada na esquina da rua Argentina com rua das Nações, repintura das faixas de estacionamento nas proximidades da escola e alteração no sentido da rua Argentina para via de sentido único, com saída para a rua Maria Simão.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.