Crimes de furto e roubo diminuem 35% em Indaial

Fonte:OIndaialense/Foto: Janaina Possamai

INDAIAL – Um levantamento feito pelo delegado da Polícia Civil de Indaial, Romildo Parno, apontou uma diminuição de 35% nos registros de crimes de furto e roubo na cidade em comparação com o ano de 2016. De acordo com Parno, a diminuição está atrelada sobretudo ao aumento de efetivo. Ele explica que de março a outubro de 2016 era o único delegado atuando na Delegacia de Polícia de Indaial, após este período recebeu o reforço de outros dois delegados – José Klock e João da Cunha Neto.

No entanto, em relação a um crime cujo combate não depende majoritariamente da polícia – a violência doméstica – o panorama que se apresenta em Indaial ainda é desanimador. Em outubro de 2017, foram encaminhados ao Fórum 51 inquéritos de crimes diversos e outros 45 de violência doméstica. Ou seja, este tipo de ocorrência é responsável por quase metade de todo o trabalho realizado pela Polícia Civil.

Ainda neste ano, a cidade registrou três homicídios. “O tráfico de drogas também aparece bastante, no entanto não foi feito nenhum levantamento formal sobre este crime. O que podemos dizer é que está intrinsecamente ligado aos casos de furtos e roubos”, elucida. Segundo Parno, outro aspecto ligado a estes crimes é o envolvimento de facções criminosas, que atualmente estão presentes também do interior do Estado e não mais apenas nas capitais. Ele destaca que as investigações feitas pela Polícia Civil e o trabalho realizado pela Polícia Militar foram os responsáveis pela prisão de traficantes e quadrilhas de assaltantes. “A polícia realiza blitz, rondas, prende, investiga os responsáveis, tudo isso vai coibindo o crime e fazendo com que a sensação de segurança aumente”.

Em relação ao incremento do efetivo da Polícia Civil, Parno diz que ainda são necessários mais investigadores. “Uma turma está se formando no fim de novembro e existe a promessa de que recebamos um reforço de mais três ou quatro agentes”.

Violência Doméstica

O Anuário da Violência, divulgado recentemente, mostrou que Santa Catarina ocupa o primeiro lugar como o Estado em que foram registradas mais tentativas de estupro. A situação em Indaial não foge a este quadro. Parno diz serem muitas as ocorrências desta natureza na cidade, sobretudo envolvendo os próprios familiares como autores, o que, muitas vezes, faz com que a família queira varrer o crime para debaixo do tapete. “Investigamos tudo o que chega até nós, mas se fecha, não há sequer uma denúncia. Na verdade, os números devem ser bem maiores do que os apresentados”.

Já quando a situação envolve violência física, especialmente entre homem e mulher, as sucessivas campanhas abordando o assunto têm alcançado resultado, uma vez que a vítima tem denunciado cada vez mais estes casos. “O número cresceu, mas talvez não signifique que tenha aumentado a violência, mas sim a coragem em denunciar”.

Parno ressalta ainda que a Polícia tem sim um papel importante, que é o de mostrar que não há impunidade para quem comete este tipo de crime, no entanto, ressalta que o combate depende de uma participação ampla de diversos setores da sociedade, inclusive da Educação.

Dicas para o fim de ano

Ainda segundo Parno, durante o fim de ano as ocorrências de furtos tendem a aumentar, uma vez que as pessoas tendem a viajar por vários dias seguidos, deixando as residências livres. A orientação do delegado é que ao viajar, o proprietário sempre peça a alguém para ficar de olho na casa. Pode ser um dos vizinhos ou, se eles também irão viajar, alguém que possa verificar se está tudo correto no local. Além disso, ele orienta para que, caso seja possível, instale um alarme na casa.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here