A notícia além do olhar técnico!

Corregedoria cita quebra de decoro parlamentar de vereador Fink, preso por furto em supermercado

INDAIAL – Um dia antes do reinicio dos trabalhos da Câmara de Vereadores de Indaial, marcado para quinta-feira (01),  a mesa diretora do parlamento indaialense reuniu com o setor jurídico para avaliar o relatório final da corregedoria da casa sobre a prisão por furto do vereador Antônio Carlos Fink (PSDB), preso dentro do BIG em Balneário Camboriú no dia 21 de junho.

A reportagem conversou sobre o relatório final da corregedoria, com a vereadora Ana Paula Reiter (MDB), corregedora da casa, Carin Maria Bachmann Brandt, que é Diretora Geral e com o presidente interino, vereador Flavio Molinari (PSDB).

Ana Paula Reiter informou que fez “um trabalho imparcial e pautado com base no regimento interno, com base no código de ética, na lei orgânica, levando tudo em consideração e os fatos, e encaminhou para mesa diretora adotar as medidas cabíveis”.

Carin Maria Bachmann Brandt, Diretora Geral da Casa Legislativa informou que as providencias foram adotadas e a documentação repassada a direção da Câmara.

Ao ser questionado o presidente interino, Flávio Molinari , ele disse que a documentação  da corregedoria não foi digamos “tão conclusiva sobre as atitudes a serem tomadas”, e a mesa diretora reuniu hoje (31) pela manhã com o jurídico para avaliar o  caso e o que pode ser feito ,já que a mesa diretora e nem o jurídico, num primeiro momento não tem um embasamento nas leis regimentais da casa sobre as medidas a serem tomadas, uma próxima reunião entre a mesa e demais vereadores devem ocorrer ainda nessa semana.

Nossa equipe obteve informações preliminares que no relatório final, entre outros apontamentos, a corregedoria citou quebra de decoro parlamentar e solicita criação de comissão para elucidar o caso, resta saber quais serão os três vereadores que irão assumir a responsabilidade desta comissão.

Na última sexta-feira dia 26, o vereador Fink pediu mais 15 dias de afastamento para tratamento de saúde.

A Lei Orgânica do Município prevê que o vereador pode solicitar até 120 dias para tratamento de saúde, sem remuneração, e sem prejuízo ao mandato.

Fomos informados que por enquanto a Câmara, dentro do regimento, não vai chamar o suplente para assumir a vaga de Fink.

Por Judson Lima

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.