IMG-20210628-WA0344
UNIMED---50-anos
Banner Indaial
1200 x 100 (3)
PlayPause
previous arrow
next arrow

Associação criminosa e crimes ambientais são investigados em Blumenau e região

Por Judson Lima

gulamania
1200 x 100 (2)
PlayPause
previous arrow
next arrow

BLUMENAU – Uma operação com a participação de oito policiais federais, além de servidores do Polícia Militar Ambiental e do ICMBio, instituições que apoiaram a PF durante a investigação foi realizada na semana passa para foi cumprido no município de Guabiruba/SC e os outros dois em Blumenau/SC com o cumprmento de três mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Federal em Itajaí/SC. A ação teve o objetivo de desarticular grupo armado constituído com a finalidade de caçar animais silvestres no interior do Parque Nacional da Serra do Itajaí, além de comercializar o produto da caça.

Durante as buscas em imóvel residencial localizado no município de Guabiruba/SC foram apreendidos pedaços de carne de 9 mamíferos, dentre eles cotias, quatis e macucos, além de uma carcaça de veado e pedaços de 3 aves ainda não identificadas, bem como rádios comunicadores, duas armas longas e 98 munições calibre 12.

Judson Lima/Foto:PF

Os fatos conduziram à prisão de um homem de 58 anos de idade, que foi levado à sede do ICMBio no Parque Nacional para a lavratura do flagrante pela Polícia Federal. O passo seguinte na investigação será a identificação, localização e responsabilização criminal das pessoas que utilizaram os serviços dos investigados, seja adquirindo produtos fruto de caça ilegal, seja frequentando o Parque Nacional da Serra do Itajaí com o objetivo de abater animais silvestres.

Os investigados também são suspeitos de promover o “turismo de caça” dentro dos limites do parque, guiando e auxiliando pessoas de outras localidades que visitavam o local com a intenção de abater animais silvestres.

Os delitos apurados no inquérito policial instaurado são crimes ambientais e de associação criminosa, capitulados nos artigos 29, § 4º, inciso V, da Lei 9.605/98 e 288, parágrafo único, do Código Penal, que somados têm pena máxima de 9 anos e meio de reclusão, informou a Polícia Federal.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.