Articulação da oposição elege Cleffi presidente da Câmara de Vereadores de Gaspar

POLÍTICA – Reviravolta. Apesar de pré-definida a vitória de Franciele Back (PSDB), a presidência da Câmara de Vereadores de Gaspar será assumida por outro vereador em 2018. Uma mudança surpreendeu a todos durante a sessão desta terça-feira, 19 de dezembro: o vereador Silvio Cleffi (PSC) foi eleito com sete dos 13 votos válidos. Além de Cleffi, outros três vereadores vão compor a mesa diretora da Casa de Leis no próximo ano. Mariluci Deschamps Rosa (PT) será a primeira secretária e Evandro Carlos Andrietti (PMDB) o segundo secretário. A vice presidência ficou com o vereador Roberto Procópio de Souza (PDT), que foi eleito em segunda votação após empate com o vereador Francisco Hostins Junior (PMDB).

Logo após ser eleito, Silvio Cleffi conversou com a reportagem do Cruzeiro do Vale e falou dos planos para o próximo ano. “Primeiramente, pretendo dar continuidade ao que o vereador Ciro começou. Tanto na ampliação da estrutura da Câmara, para que possamos melhor atender a comunidade; e também na expansão dos serviços do Legislativo. Tenho certeza que nesse próximo ano conseguirei mostrar que isso é possível”.

Em 2017, Silvio Cleffi ficou na vice-presidência. Para ele, o cargo serviu como aprendizado. “Considero minha experiência na mesa diretora bastante positiva. Agora, tenho oportunidade de presidir e representar com ainda mais garra a nossa cidade. Que seja uma caminhada política de muitas conquistas para Gaspar. O povo gasparense merece o melhor”, conclui.

Acordo não cumprido: o episódio se repete

Ao que tudo indicava, a Câmara de Vereadores de Gaspar teria, em 70 anos, pela primeira vez uma mulher na presidência. Uma reviravolta de última hora, porém, fez com que a situação fosse invertida.

O episódio vivenciado na última sessão do ano na Câmara não é inédito. Há dois anos, a então vereadora Andreia Nagel colocou seu nome à disposição e concorreu à presidência. Ela firmou um acordo político com os demais partidos para que sua vitória fosse garantida. Porém, foi surpreendida e não recebeu a maioria dos votos. O mesmo acaba de acontecer com Franciele Back.

A jovem vereadora está em seu primeiro mandato e se mostrava confiante quanto ao cumprimento do acordo feito após as eleições do ano passado. Após o resultado da votação secreta, a vereadora usou a tribuna para mostrar sua indignação com a situação. “Quase deu certo. Quase elegemos a primeira mulher presidente. A Câmara mostra mais uma vez o quanto é machista e o quanto a palavra não vale nada pra alguns vereadores. Quero parabenizar a nova mesa e agradecer todos os vereadores que votaram em mim. Mas, o trabalho continua. E se tem uma coisa que eu sei fazer muito bem, é trabalhar”, diz.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.