A notícia além do olhar técnico!

Após furto, prisão e denunciado em ações criminosas, Fink volta a presidência da Câmara de Indaial

Antônio Carlos Fink , em ações criminosas tipificadas no art. 155, caput, e art. 155, caput, c/c art. 14, inciso II, c/c art. 71, todos do Código Penal.   

INDAIAL – Talvez a máxima aplicada no Brasil que “o crime compensa” seja uma alusão ao que ocorre hoje em Indaial, o vereador Antônio Carlos Fink (PSDB), preso em flagrante pelo crime de furto no dia 21 de junho no BIG de Balneário Camboriú e posteriormente denunciado pelo Ministério Publico está de volta a presidência da Câmara de Vereadores de Indaial.

Foto:MPSC

Após o crime cometido, Fink pediu licença para tratamento de saúde em duas oportunidades e em seguida solicitou novo afastamento para tratar de assuntos particulares, e teve mandato assumido por Ana Barreto, que deixou a casa no último dia 10 de setembro.

Nesse período de idas e vindas a Corregedoria da Câmara, Vereadora Ana Paula Reiter enviou relatório a Mesa Diretora citando quebra de decorro parlamentar e apontando para a necessidade da criação de uma comissão para elucidar o caso, na época e até agora, nenhuma comissão de vereadores foi formada para acompanhar o caso.

Desde o dia 11 de setembro, Antônio Carlos Fink voltou a presidência da Câmara de Indaial para a vergonha dos indaialenses, que servem de chacota para outras cidades , em ter um presidente denunciado pelo crime de furto , em ações criminosas tipificadas no art. 155, caput, e art. 155, caput, c/c art. 14, inciso II, c/c art. 71, todos do Código Penal.

Foto:MPSC

Em sua descrição, o promotor José de Jesus Wagner subscreveu que “O denunciado, de forma livre e consciente, subtraiu, para si, coisas alheias móveis; e, ainda, iniciou a subtração, de coisas alheias móveis, cuja consumação apenas não ocorreu por circunstâncias alheias à sua vontade, em continuidade delitiva”.

Em contato com a reportagem o vereador Flavio Molinari (PSDB) que estava como presidente interino da Câmara, informou que a não ser que Fink protocole outro pedido de licença ele continua na presidência.

Na época do ocorrido e do levante popular , os vereadores Ana Paula Reiter, Sedenir Bagaio, Osvaldo Metzner (Santo Antônio) e Fabinho Fritz , protocolaram em conjunto um pedido de afastamento de Antônio Carlos Fink, sendo que a bancada do PP com os vereadores Diego Pandini, Altair Brassiani(Pelé) e Caroline Bertoldi , também prepararam um documento pedindo o afastamento do vereador, assim como a vereadora Aurora Coelho solicitava o imediato afastamento.

Resta saber se com a poeira baixada e na sessão ordinária do dia 23 de setembro, os parlamentares que sequer formaram comissão para acompanhar e avaliar a quebra de decorro parlamentar vão calar para o retorno de um suposto criminoso na presidência da Câmara Municipal de Indaial.

Por Judson Lima

Abaixo a denuncia do Ministério Público contra o vereador Fink

file:///C:/Users/Usuario/Downloads/doc_379002675.pdf

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.