banner chutze
banner dengue indaial
Banner Rodeio
PlayPause
previous arrow
next arrow

Alunos das Escolas Juvenal Carvalho e Rudolfo Alfarth participam de projeto desenvolvido por pesquisadora da Udesc

Por Judson Lima

banner camara timbo maio
banner camara blumenau maio
banner_olia
banner Gula Mania
PlayPause
previous arrow
next arrow

INDAIAL – Na última semana, alunos do 7º ano de duas escolas da rede municipal de ensino participaram de um projeto desenvolvido pela estudante Mariana Farias Brandão, formada em Medicina Veterinária e, atualmente, mestranda na Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina), em Lages. A pesquisa é voltada ao vírus da febre amarela e seus mosquitos transmissores e visa orientar os estudantes quanto à doença, além de auxiliar na captura dos insetos para futura análise.

Em parceria com a Secretaria de Educação de Indaial, a pesquisadora Mariana aplicou o projeto nas Escolas Encano Baixo Rudolfo Alfarth e Juvenal Carvalho, locais em que também foram instaladas armadilhas do tipo Adultrap®, capazes de capturar a fêmea do mosquito Aedes aegypti. A espécie é a principal responsável por infectar as pessoas com a febre amarela em áreas urbanas.

Alunos de Indaial

Os estudantes assistiram a uma aula expositiva sobre o tema, participaram de um jogo de perguntas e respostas e receberam, ao fim do encontro, um kit com dois frascos para que também pudessem coletar mosquitos em suas residências. Os insetos capturados foram entregues à pesquisadora Mariana e serão analisados em laboratório, junto às demais amostras coletadas, uma vez que no Parque Municipal Jorge Hardt também houve a captura de mosquitos.

Os resultados obtidos com o estudo serão disponibilizados para ações de vigilância epidemiológica do Sistema Único de Saúde (SUS), auxiliando em estratégias de controle e/ou prevenção efetivas contra as doenças transmitidas por vetores.

Além de Indaial, o projeto também já foi aplicado na cidade de Mafra e irá abranger ainda os municípios de Joinville e Criciúma. Os locais foram escolhidos com base em dados fornecidos pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) das epizootias nas cidades de Santa Catarina, ou seja, ocorrência de Febre Amarela em população animal (macacos).

“Envolver nossos alunos em pesquisas voltadas a esse tema é uma ótima oportunidade para conscientizarmos os jovens quanto aos riscos proporcionados pelo mosquito Aedes aegypti, incentivando-os também a participarem de ações de prevenção. Foi uma experiência de grande valia para os estudantes”, comenta o secretário de Educação, Márcio Selhorst.

você pode gostar também
BANNER PASCOA BLU
banner dengue indaial
banner_olia
PlayPause
previous arrow
next arrow
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

..