Slider

Alba cobra linha de crédito estadual para segmento de eventos

Por Comunicação

SANTA CATARINA – O deputado estadual Ricardo Alba (PSL) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão ordinária da manhã desta quinta-feira, 04, para cobrar do Governo do Estado e do Banco de Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina (Badesc), uma linha de crédito especial a juro zero e com carência para início do pagamento para empresas e profissionais do segmento de eventos.

Alba lembrou que o setor está parado há um ano e, pelo atual momento, ficará por mais algum tempo sem atividade.

“Precisamos evitar a quebradeira, pois é o sustento de muitas famílias que estão em jogo”, asseverou.

Em seu inflamado discurso, o parlamentar citou números do Sebrae, que dão conta da importância do segmento para a economia. O setor representa um faturamento anual de R$ 209 bilhões no país, recolhe R$ 48 bilhões de impostos e gera dois milhões de empregos diretos e indiretos. Em Santa Catarina, a importância do segmento também é relevante. Só a subseção da Ordem dos Músicos de Santa Catarina estima que 36 mil músicos estão sendo prejudicados pela pandemia. “Um ano sem poder trabalhar, um ano sem eventos de pequeno a grande porte”, reforça Alba.

Em sua fala na tribuna, ele lembrou que quando se fala em eventos, se está falando desde o salão de baile até a empresa que fornece material para festas de aniversário e casamentos, passando por congressos, feiras de negócios, shows, festas, eventos esportivos e culturais e espetáculos em geral,casas de shows, empresas de sonorização, empresas promotoras de eventos e todos os funcionários e free lancers que vivem deste mercado. “É muita gente com dificuldade, muitos até para por o pão de cada dia na mesa da família”.

Linha de crédito já

Alba fez, oficialmente, duas Indicações sobre o assunto. Uma direcionada ao Governo do Estado e à Secretaria da Fazenda e a outra direcionada ao Badesc. Nessas peças legislativas oficiais, ele clama pela abertura de uma linha de crédito especial a juro zero e com carência para início de pagamento, como forma de que essas empresas “possam se manter vivas até que o momento permita a retomada de suas atividades”. Se as empresas puderem se manter, seus profissionais, trabalhadores, também conseguirão passar por esta fase extremamente difícil.

O parlamentar já prepara novos movimentos nesta luta pela sobrevivência dos atores de tão importante segmento. Buscará se reunir com o presidente do Badesc, Eduardo Machado, nos próximos dias, para dar seguimento e este pleito. “Vamos ao presidente do Badesc, vamos ao governador, se necessário. O importante é que consigamos manter viva a força deste segmento, porque do contrário quem trabalha nele perde agora, e Santa Catarina perderá muito em um futuro próximo”, concluiu o deputado.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.