31 dos 40 deputados titulares na Alesc vão buscar a reeleição em Santa Catarina

POLÍTICA – As eleições de outubro prometem mobilizar todas as bancadas da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), com poucas indefinições mantidas sobre os cargos em disputa. Ao menos 31 dos 40 deputados estaduais titulares querem a reeleição para manter suas cadeiras na Alesc, enquanto outros cinco parlamentares devem tentar um salto para a Câmara dos Deputados, em Brasília. 

A corrida pelo governo do Estado também terá reflexos no Legislativo catarinense. Gelson Merisio (PSD) já assumiu o discurso de pré-candidato e ainda pode ter como concorrente o atual secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan (PSDB). Pavan é deputado licenciado (cedeu lugar a Dóia Guglielmi-PSDB), mas ainda terá de voltar à Alesc para poder concorrer em outubro — além do governo, ele é especulado para uma vaga na Câmara dos Deputados.

Pavan precisa se desincompatibilizar do cargo de secretário até seis meses antes de ir às urnas, a exemplo do que fizeram nas últimas semanas os deputados Ada de Luca (ex-secretária da Justiça e Cidadania), Moacir Sopelsa (Agricultura e Pesca), Luiz Fernando Vampiro (Infraestrutura) e Carlos Chiodini (Desenvolvimento Econômico Sustentável).

O afastamento do cargo, no entanto, não é exigido de quem apenas exerce a função de parlamentar na Assembleia. Também dono de uma das cadeiras da Alesc pelo sexto mandato, Narcizo Parisotto (PSC) deve ser o único deputado estadual catarinense na briga pelo Senado.

Já o futuro político de Natalino Lázare (PODE) é incerto, pois ainda depende do aval do partido para tentar a reeleição na Alesc ou seguir outro caminho. Bancada mais numerosa da Assembleia, com 11 deputados, o PMDB acena apenas com Carlos Chiodini para uma vaga em Brasília, enquanto os outros dez parlamentares devem tentar a reeleição.

No PSD, que tem a segunda maior bancada, ao menos três dos nove deputados devem tentar outros rumos: além de Merisio, na disputa pelo governo, Darci de Matos e Ricardo Guidi serão candidatos à Câmara em Brasília. O PT também mira dois deputados para a Câmara Federal: Ana Paula Lima e Dirceu Dresch.

PRÉ-CANDIDATOS À REELEIÇÃO NA ALESC
Ada Faraco De Luca (PMDB)
Aldo Schneider (PMDB)
Dirce Heiderscheidt (PMDB)
Fernando Coruja (PMDB)
Luiz Fernando Vampiro (PMDB)
Mario Marcondes (PMDB)
Mauro de Nadal (PMDB)
Moacir Sopelsa (PMDB)
Romildo Titon (PMDB)
Valdir Cobalchini (PMDB)
Antonio Aguiar (PSD)
Gabriel Ribeiro (PSD)
Ismael dos Santos (PSD)
Jean Kuhlmann (PSD)
Kennedy Nunes (PSD)
Milton Hobus (PSD)
Luciane Carminatti (PT)
Neodi Saretta (PT)
Padre Pedro Baldissera (PT)
João Amin (PP)
José Milton Scheffer (PP)
Silvio Dreveck (PP)
Valmir Comin (PP)
Vicente Caropreso (PSDB)
Marcos Vieira (PSDB)
Serafim Venzon (PSDB)
Maurício Eskudlark (PR)
Cleiton Salvaro (PSB)
Patrício Destro (PSB)
Cesar Valduga (PCdoB)
Rodrigo Minotto (PDT)

PRÉ-CANDIDATOS A DEPUTADO FEDERAL
Carlos Chiodini (PMDB)
Darci de Matos (PSD)
Ricardo Guidi (PSD)
Ana Paula Lima (PT)
Dirceu Dresch (PT)

PRÉ-CANDIDATOS AO GOVERNO DO ESTADO
Gelson Merisio (PSD)

PRÉ-CANDIDATOS AO SENADO
Narcizo Parisotto (PSC)

INDEFINIDOS
Natalino Lázare (PODEMOS)
Leonel Pavan (PSDB)*
*Licenciado, atualmente secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.