banner blumenau julho
banner rodeio juh
PlayPause
previous arrow
next arrow

Indaial realiza ações na Semana Municipal de Combate à Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher

BANNER CAMARA DE TIMBO JULHO
banner chutze
banner Gula Mania
PlayPause
previous arrow
next arrow

INDAIAL – A Secretaria de Desenvolvimento Social de Indaial, através do Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), realizará na Semana Municipal de Combate à Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher algumas atividades para mobilizar a sociedade no enfrentamento a esse tipo de violência.

No dia 20, segunda, das 9h às 11h, profissionais do Creas e da Secretaria de Saúde estarão em frente à Prefeitura distribuindo material educativo sobre o tema e prestando orientações.

Já no dia 24, sexta, às 9h, na Câmara de Vereadores (rua Pref. Frederico Hardt, 148, Centro), será apresentada a peça teatral “Basta” pelo Grupo de Teatro Detalhe. O espetáculo retratará os vários tipos de violência contra a mulher que ainda são muito comuns nos dias de hoje, tem duração aproximada de 50 minutos e é aberta à comunidade em geral.

Através de um programa de televisão (auditório), apresenta-se o quadro “Um dia de Mulher”, no qual é mostrado o dia a dia da dona Madalena, desde que acorda até o fim do dia. No decorrer da peça são retratadas situações como: humilhação no trabalho e em casa; assédio no trabalho, na rua, no médico; sobrecarga no trabalho; filho igual ao pai e violência doméstica.

Sobre a Violência Contra as Mulheres

A luta contra a violência doméstica não é de hoje. Em 1991, 23 mulheres de diferentes países lançaram a campanha dos 16 Dias de Ativismo com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo.

As heranças do passado ainda se fazem presentes na sociedade atual, na forma de desigualdades culturais entre homens e mulheres, da errônea ideia da submissão da mulher ao homem, do preconceito em relação à própria capacidade da mulher que é tida como “sexo frágil”.

De acordo com a assistente social Simone Fourlan Nandi, coordenadora do Creas, “onde deveria existir uma relação de afeto e respeito, passa a existir uma relação de violência. Apesar de ser um crime e grave violação de direitos humanos, a violência contra a mulher segue vitimando milhares delas. Em nossa sociedade, todos os dias, um grande número de mulheres são submetidas a alguma forma de violência”.

A Lei Maria da Penha prevê uma série de medidas e mecanismos para oferecer proteção à mulher em situação de violência doméstica, como afastamento do agressor do lar, proibição de contato com a mulher ou de frequentar os mesmos lugares, entre outras ações.

Quando a mulher sofre algum tipo de violência, o primeiro passo é registrar boletim de ocorrência, depois solicitar a medida protetiva de urgência na delegacia. O delegado encaminha solicitação de medida para o Juiz da Vara Criminal, que, quando assinada, encaminha ao Creas para fazer o acompanhamento psicossocial.

Existe a Central de Atendimento à Mulher, a qual funciona 24 horas por dia, recebendo ligações de qualquer lugar do país, para fornecer informações e encaminhar denúncias aos órgãos competentes. A ligação é gratuita de telefone fixo ou celular pelo número 180.

você pode gostar também
banner ascurra
banner chutze
PlayPause
previous arrow
next arrow
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.